Uma poesia, uma homenagem…

Outro dia, via Facebook, Rodrigo Franlkin (hoje mais conhecido como Rodrigo de Sousa, para os desavisados) propôs um desafio a quatro pessoas para que fizessem a postagem de um poema diário, durante quatro dias.

Mas eu não queria só compartilhar, eu queria escrever, e não queria só escrever, queria oferecer… Então tinha um problema, que era:

“-Porra, eu vou escrever no Facebook tendo um Blog?”

Mas enfim… Tentei, escolhi pessoas, escrevi em inglês, refiz… E não ficava satisfeito. Por mais que o Facebook tenha nossas informações, as coisas que compartilhamos ali desaparecem de tal maneira que esses avisos sobre coisas que você fez há um ano são todos surpresa, são recordadas com espanto. Então decidi vir pro blog mesmo, escrevo a vontade e terei guardado pra mim. Infelizmente, não poderei passar pra frente… Mas é a vida…

Meu primeiro poema, nem sei se posso chama-lo assim, vai pra minha sobrinha e pra todas as filhas de todos os meus amigos, em especial pra dele mesmo, Rodrigo, que fez o desafio, é uma canção de Vinicius de Moraes que eu não conhecia, e conheci semana passada através de um amigo.

Valsa para uma menininha:

 

Menininha do meu coração
Eu só quero você
A três palmos do chão
Menininha, não cresça mais não
Fique pequenininha na minha canção
Senhorinha levada
Batendo palminha
Fingindo assustada
Do bicho-papão

Menininha, que graça é você
Uma coisinha assim
Começando a viver
Fique assim, meu amor
Sem crescer
Porque o mundo é ruim, é ruim
E você vai sofrer de repente
Uma desilusão
Porque a vida é somente
Teu bicho-papão

Fique assim, fique assim
Sempre assim
E se lembre de mim
Pelas coisas que eu dei
E também não se esqueça de mim
Quando você souber enfim
De tudo o que eu amei

Comentários

Comentários