Spam é uma desgraça…

Recebi um spam. Pela primeira vez, me serviu de algo… Fui dar uma lida nas informações (as vezes nem tão verossímeis quanto eu gostaria que fossem) que se encontra sobre o tema na Wikipédia, que não deixa de ser, um dos sites mais linkados aqui.

E me serviu de algo porque dando essa olhada, vi que “o termo originou-se da marca SPAM, um tipo de carne suína enlatada da Hormel Foods Corporation, e foi associado ao envio de mensagens não-solicitadas devido a um quadro do grupo de humoristas ingleses Monty Python. O quadro foi escrito para ironizar o racionamento de comida ocorrido na Inglaterra durante e após a Segunda Guerra Mundial. SPAM foi um dos poucos alimentos excluídos desse racionamento, o que eventualmente levou as pessoas a enjoarem da marca e motivou a criação do quadro”. Ou seja, um bocado de cultura inútil pra conversar em mesa de bar… Pelo menos pra isso.

Esse tal SPAM, pelas fotos, me pareceu semelhante ao nosso Kitut.

O spam que recebi, bem, falava algo sobre benzeno… A resposta a ele está aqui: Abram os vidros e deixem o spam sair. O dono desse site ai, se propõe a desvendar os spans que cai em suas mãos. Bacana, se o pessoal visitasse mais seu site antes de sair mandando tudo que lê (ou recebe) por ai.