A felicidade no mundo…

Outro dia pus no grupo de minha família uma foto que achei legal, a foto era essa ai de baixo, e mostra um mapa do mundo baseado em um índice de felicidade…

The Happiness scale
The Happiness scale

Eu coloquei a foto, só por achar legal ver que o Brasil era um país feliz… Sem muitas pretensões. Na verdade ainda fiquei com vontade de fazer uma pequena piada com a Finlândia que se supõe ser um país ótimo, e não obstante, seguindo o tal mapa, seria um país triste… Então seria melhor morar no Brasil, onde “está tudo errado” chegar em casa e ser feliz, do que morar na Finlândia, onde “está tudo maravilhoso”, chegar em casa e ser triste… Uma piada boba, enfim…

No grupo eu recebi a resposta:

“Pelo mapa o povo mais feliz do mundo está na Venezuela?
A Espanha está tristinha ou tá feliz?
Perdeu a credibilidade.
Mas é bom para mandar pros americanos.”

Creio que a menção a Venezuela, e a perda de credibilidade, seria porque deveríamos supor que é improvável ser feliz lá. Tanto quanto é improvável que eles sejam um povo feliz. Eu acho que essa idéia, ou opinião, vem das animosidades que se formaram no Brasil de uns tempos para cá, em torno de ideias um pouco tortas sobre governos, política, e por ai vai…

A figura, é uma parte de um gráfico maior, encontrado no Blog do Fórum Econômico Mundial, sem maiores intenções políticas, creio eu, no entanto sobre as preocupações acerca da Venezuela, eu faria algumas observações não políticas… Ou quase… Por exemplo, a Índia…

A Índia é um país com 1,2 bilhões de pessoas, onde 80% dessa população é Hindu, a sociedade está dividida por castas, dentre essas castas existe uma chamada Dalit. Dentre os Dalits, que são mais ou menos 180 milhões de pessoas, existem aqueles que nasceram para limpar excrementos, em números são mais de 1 milhão de pessoas. Agora veja só, a Índia é um país verde, ou seja, feliz. Isso quer dizer que dentre esses mais de 1 milhão de pessoas, que “nasceram predestinados” a limpar cocô, existe alguém feliz, claro, existirão os revoltados, os infelizes, os conformados, existirá de tudo, e eu tenho muitas esperanças que esses últimos sejam maioria, mas se existe de tudo, vão existir os felizes também, e a simples possibilidade, da existência de alguém que “nasceu pra limpar cocô” ser feliz, me exaspera. A existência dessa pessoa deveria significar que 99% do resto do planeta não tem motivos suficientes para ser infeliz. A Índia ser um país verde, me preocupa…

Venhamos mais pro “ocidente” e vejamos a África. A África não foge as expectativas, e é quase toda vermelhinha… Ou seja, infeliz… Não obstante, existe um país verdinho por ali, norte da África, chamado Marrocos. Agora bem, o Marrocos é um país de religião muçulmana, de tradição conservadora e patriarcal, pode-se até mesmo dizer, machista.

Existe uma lei no Marrocos, que serve para “proteger” as meninas e/ou mulheres indefesas, e poupar as famílias da “vergonha” da filha perder a “honra”, onde um amante, sequestrador ou estuprador que se aproveite da moça, caso resolva casar-se com ela posteriormente, se isenta do crime. É notável a boa intenção desse parágrafo do artigo 475 do código penal marroquino, que queria proteger as moças que queriam manter relações antes do matrimônio, caso fossem descobertas, obrigava o rapaz a casar-se com elas. O problema é que esse mesmo artigo passou a ser usado por estupradores, como já foi dito, para se livrarem do crime depois de cometido, esse matrimônio é incentivado pelas famílias das vítimas e pelos juízes responsáveis, essa situação chegou a causar a morte por suicidio de pelo menos uma garota, porque o estuprador além de casar-se, passou a maltratá-la… É como se as mulheres fossem cidadãs de segunda classe, apenas um pouco melhor que os Dalits na Índia…

Agora levando em consideração que em um país a proporção entre homens e mulheres será mais ou menos a mesma, 50% com alguma variação pra mais ou pra menos, e que o país só será verde, ou “feliz”, se tem mais de 50% da população que se diz feliz, existem mulheres no Marrocos que estão felizes com isso!!! De novo, a simples possibilidade da existência dessas mulheres, felizes nessa situação, me dá calafrios… E novamente, a existência dessas mulheres, deveria fazer com que o resto das mulheres do mundo sejam todas felizes! Inclusive aquele 1% que era infeliz mesmo sem ser uma Dalit! O Marrocos ser verde me preocupa…

Voltamos então à Venezuela… Eu não sei quais os critérios usados para a elaboração do mapa. Mas acredito que há menos haver com política, ou religião, e mais com como a população do país se vê, e quanto a isso não se pode fazer nada, o país pode até mesmo estar em guerra, e a população estar, ou se dizer, feliz, apesar da improbabilidade de isso acontecer, não seria impossível. De forma que, não importa que eu ache que um Dalit, ou uma marroquina não possam ser felizes, porque efetivamente, eles podem. Todos os lugares têm coisas boas e ruins, para mim a felicidade traduzida no mapa, diz que o povo de determinado lugar é feliz, apesar das coisas ruins que ali existem, nisso, meu julgamento não pode influenciar. De forma que eu fico satisfeito pelos Dalits e marroquinas felizes, e prometo não julgá-los. =)

E por fim, fico muito orgulhoso da America Latina e Central, que quase como um todo, ocupam as primeiras colocações nos índices de felicidade, isso pra mim, quer dizer que apesar de todos os problemas existentes, o povo desses lugares é feliz, e sinceramente, eu acho bastante plausível, porque preferiria ser Guatemalteco do que Dalit.

1 – Costa Rica.

2 – Vietnam.

3 – Colombia.

4 – Belize.

5 – El Salvador.

6 – Jamaica.

7 – Panama.

8 – Nicaragua.

9 – Venezuela.

10 – Guatemala.

PS1: No Blog do Forum Economico, existe a classificação de alguns outros países, o Brasil está na 21ª colocação.

PS2: Alguém diria que o Vietnam é o segundo país em índice de felicidade no mundo???? Pois é, nem eu!! kkkkkk

PS3: No blog oficial também existem comentários (em inglês) sobre outros países que as pessoas consideram que deveriam ser “infelizes” pelos mais diversos motivos, e não obstante são “felizes”…

Comentários

Comentários